Lucro dos maiores bancos do Brasil cresce 17% no 2º tri e soma R$ 16,8 bilhões

O lucro líquido dos 4 maiores bancos do Brasil com ações na bolsa cresceu 17% no 2º trimestre, na comparação com a mesma etapa do ano passado, e somou R$ 16,88 bilhões. Segundo dados da Economatica, trata-se do maior lucro consolidado nominal (sem considerar a inflação) desde o 2º trimestre de 2015.

Na comparação com o 1º trimestre, a soma dos lucros do Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander teve alta de 3,5% no 2º trimestre.

O lucro consolidado de R$ 16,388 bilhões é também o segundo maior em termos nominais da série histórica da base de dados da Economatica, iniciada em 2006, atrás apenas do ganho de R$ 17,34 bilhões do 2º trimestre de 2015.

Segundo os balanços divulgados pelos bancos, o aumento dos ganhos foi impulsionado pelo crescimento das receitas com tarifas, menores despesas com provisões para calotes, menor custo do crédito e maior controle de custos.

Itaú lidera ganhos
O maior lucro do 2º trimestre entre os bancos foi o do Itaú, com R$ 6,244 bilhões, resultado 3,8% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

O Bradesco teve lucro líquido de R$ 4,528 bilhões, alta de 15,77% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O Banco do Brasil reportou lucro líquido de R$ 3,135 bilhões, resultado 19,7% maior na comparação anual.

Já o Santander teve lucro líquido de R$ 2,97 bilhões, um crescimento 58% na comparação com o 2º trimestre do ano passado.

O setor com maior número de representantes entre os 20 maiores lucros é o de bancos com cinco empresas, seguido pelos setores de alimentos e bebidas e pelo setor de papel e celulose com duas empresas cada setor.

Historicamente, o setor bancário é o que registra os maiores ganhos entre as empresas de capital aberto. No 1º trimestre, entre 20 maiores lucros, 5 foram de instituições financeiras.

Fonte: G1 Globo | 09/08/2018

Cotações e Índices

Moedas - 19/03/2019 16:03:31
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,778
  • 3,779
  • Paralelo
  • 3,750
  • 3,950
  • Turismo
  • 3,760
  • 3,980
  • Euro
  • 4,292
  • 4,294
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,782
  • 3,781
  • Libra
  • 5,016
  • 5,018
  • Ouro
  • 160,040
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

Agendas Tributárias

  • 20/Março/2019
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras
  • INSS | Previdência Social
  • EFD - Contribuintes do IPI | Pernambuco e Distrito Federal
  • Simples Nacional
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação – PMCMV
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação - RET
  • Previdência Social (INSS) | Parcelamento excepcional de débitos de Pessoas Jurídicas
  • Parcelamento especial da Contribuição Social do salário-educação
  • Previdência Social (INSS) | Parcelamento Especial de Débitos - PAES

Avenida Cunha Cintra, 452, Centro, Penápolis - SP   |   CEP 16300-000
Fone 18. 3652 2977  |  eduardo@pamplonausinadenegocios.com.br

Desenvolvido pela TBrWeb
( XHTML / CSS )